segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Fläsket Brinner - Fläsket Brinner (1971)






Do sueco para o português, o nome da banda significa mais ou menos "gordura de porco torrada" e a capa já vai ajudando. Esses caras lançaram dois ótimos discos onde se encontra a precisão e acomplexidade do prog misturadas à improvisação do jazz. Essa porção jazz foi muito influenciada pelo free-jazz que floresceu nos anos 60. Esse primeiro disco deles foi praticamente gravado ao vivo, coisa que, aliás, era o seu forte. Então, são peças instrumentais previamente escritas e muito bem estruturadas, executadas em jams que perseguem a forma livre por músicos muito competentes. Esse é o tipo de coisa que só foi possível naquela época e naquele lugar, onde o comercialismo não ditava as regras.


Bengt Dahlén -guitarra, violino, vocal
Gunnar Bergsten -sax
Sten Bergman -órgão, flauta
Per Bruun -baixo
Erik Dahlbäck -bateria
com:
Ove Gustavsson -baixo (4, 7)
Bo Hansson -órgão (4), percussão (1, 2)


1 Gånglåten 
2 Tysta Finskan 
3 Gunnars Dilemma
4 Bengans Vals 
5 Bosses Låt 
6 Räva 
7 Uppsala Gård
8 Musik Från Liljevalchs



Um comentário:

Marcelo disse...

http://www.mediafire.com/?2kzv4nz1x8cc8p9