quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Klaus Schulze - Irrlicht (1972)







O sub-título deste primeiro disco solo de Klaus Sculze é "Quadraphonic Symphony for Orchestra and E-Machines" mas a orquestra é pequena, nada que lembre Wakeman, por exemplo. O som  é descrito como "cosmic ambient", e é executado por uma porção de gadgets eletrônicos, órgão e efeitos usando fitas. Ele foi gravado logo após Schulze sair da Ash Ra Temple que ele mesmo fundara a partir da banda Steeple Chase Bluesband, na qual entrou após sair da Tangerine Dream, para a qual havia sido convidado pelo Edgar Froese, sendo dela, então, um dos fundadores. Além dessas, Schulze também fundou a Cosmic Jokers e participou de um monte de projetos, tornado-se um dos músicos mais influentes da cena alemã e do rock progressivo em geral. Ele começou como baterista e foi desenvolvendo interesse e experimentos na eletrônica. Tudo isso resultou nesse álbum. Eu colei essa capa da Amazon porque esta merda de Google está distorcendo tudo que eu upo; ela é mais clara mas é da mesma versão da Revisited Rec.


Klaus Schulze -eletrônicos, órgão, guitarra, zither, percussão, voz
Colloquium Musica Orchestra


1 Satz: Ebene 
2 Satz: Gewitter (Energy Rise - Energy Collaps) 
3 Satz: Exil Sils Maria 
4 Dungeon 

Um comentário:

Marcelo disse...

http://depositfiles.org/files/hvb48o5ro